1.7.06

bicho

eu não pertenço a minha vida. nunca aprendi a ser direito. não penso, amo ou ajo ao meu preceito. há uma criatura encarnada que pensa, ama e age por mim. meu antônimo, suspeito. eu não sou dona do mundo em mim. eu quero tudo. e nada é tão tudo assim. deixo um tanto de mim com ela, com ele, contigo. não posso levar teu vazio comigo.

eu não pertenço a minha vida e não vejo saída. estou quase convencida de que não sou dona do mundo em mim própria. querer tudo é cilada. os dias passam e não tenho nada. é dispersa a minha dança. não me tange este ou outro momento. não tenho esperança. sou alheia ao sofrimento, sorrio. tenho mania de absurdo. e vivo no cio.

1 comentario:

Ahau dijo...

A dança não pertence a ninguém. O cio a todos. Todos bichos que somos. A dançar.