12.9.05

reduzida

nesta segunda
que desponta
atrasada
nada é por inteiro
somos só aparência
que disfarça
o desespero

sufoco,
estímulo zerado,
nada convoca,
nenhum corpo convida,
as carnes parecem mortas,
os olhos, esquecidos.

páginas em branco.
viradas. reviradas.
desvividas.
quero de volta minha inocência!
meu riso fácil
meu andar desleixado
onde está o que me traduz?

aceito minha torpeza
(seca essência)
ora rock, ora roots
meus extremos dilacerados
curiosidades.
idade?

consumida pela imperfeição
ensaio encontros inevitáveis
com os loucos rumores
do desagravo:
da minha falta de fé,
da minha mudez débil,
da minha atroz vaidade
(vontade de poesia)

preencho linhas
por que estou
vazia
ou só pra entender o que passa
o que fica
o que marca
neste dia que se acaba
por nada.

3 comentarios:

Bicarato dijo...

Segunda-feira é braba, mesmo. Mas há sempre a chance de se tomar uma cervejinha e relaxar...
Beijãos ;-)

fernanda barreto dijo...

mas e não foi o que aconteceu?
bom te ver ontem.
bj,nanda

Dantonelli dijo...

pq essa insatisfação por causa da malícia que todo mundo tem sentido? Ficamos atentos e paralizados pela estética e superficialidades bem findas, não?! Perda da inocência é uma merda. dá uma lidinha em mim.