30.11.09

Nos trilhos de Sampa

Tá. Podem me chamar de caipira, eu não ligo. Mas a verdade é que para mim uma das coisas mais agradáveis de se fazer em São Paulo é andar de metrô. Chega a ser um excesso de mobilidade para quem está acostumado ao sistema de transporte público da capital federal. Tudo bem que aqui também tem metrô mas, numa boa, nem se compara. Até pouquíssimo tempo atrás ele sequer funcionava aos finais de semana. Um piada.

Mas voltemos a Sampa. Claro que a parte mais interessante não está nos trilhos e sim onde eles nos levam. É só descer na Estação da Luz, tropeçar na calçada e tchum: cair dentro do Museu da Língua Portuguesa. O lugar é incrível e além do acervo fixo, com vídeos, objetos e mil maquininhas interativas sobre a história do nosso idioma, sempre tem umas exposições paralelas maravilhosas. Desta vez, quem me deixou bêbada de emoções foi Cora Coralina.







Um espaço que eu não conhecia dentro do Museu é a Praça da Língua, um verdadeiro planetário poético. O público entra numa sala bem escura e senta mais ou menos em círculo, nas suas extremidades. E então começa uma chuva de estrelas com fragmentos de prosa e poesia projetados no teto. Os textos são acompanhados por narrações de gente como Maria Bethânia e José Miguel Wisnik, entre muitos outros. O "passeio" pela Praça é precedido por uma sessão de vídeo, com vários horários de exibição. No centro da Praça, debaixo das nuvens de poesia, um chão de palavras lindas:





Do outro lado da rua do Museu da Língua Portuguesa fica a Pinacoteca do Estado. O acervo de arte é demais. Esculturas, quadros, totens e infinitos mistérios para se desvendar. Entre as exposições temporárias, a instalação mais fotogênica, digamos assim, é esta abaixo chamada Sistema Uniplanetário, que botou minimundos para dançar ao som de toca-discos mudos.

2 comentarios:

Raíssa dijo...

Infelizmente, ainda não conheço nem o Museu da Língua Portuguesa nem a Pinacoteca. Mas, quanto ao metrô de Sampa, não poderia concordar mais. Adooooro!!!
Saudades, gata.

Eduardo dijo...

Vale a pena !
Fer, quando fui trabalhar em Sampa em Setembro , fiz o mesmo passeio: Metro, Estacao da Luz, Pinacoteca, enquanto Gisele curtia as praias de Natal.
E adorei o Museu da Lingua, sem livro nenhum mas tantas palavras soltas, flutuando no ar , até Arnaldo Antunes no elevador!, e a Pinacoteca, transformada por esee grande arquiteto Mendes da Rocha
Tirei fotos ! me encantei com as crianças que gritavam os poemas, e que que adoro trens, amei a estação.

http://picasaweb.google.com/arqbaro/SAOPAULOSeptiembre2009#