24.4.10

romance



e quando eu vi o relógio de contagem regressiva dos 50 anos já havia zerado. brasília completou meio século de vida - e a minha anda tão atabalhoada que nem participei das comemorações. assisti a alguns trechos de shows pela tevê e fiquei sabendo de muita coisa boa pela internet.

mas, embora eu não tenha ido a nenhuma atividade cultural, festejei a capital ao meu jeito. no dia 21 de abril, passeei de bicicleta de uma ponta a outra das asas da borboleta. admirei os aviões da força aérea fazendo malabarismos no ar e fiquei encantada com tanta gente na rua.

brasília é uma cidade esquisita. sua amplidão mexe com os sentidos da gente. seus burocratas carimbam uma imagem protocolar da cidade. mas brasília é puro charme e cheia de 19 horas. um lugar lotado de pessoas de peito aberto vindas dos quatro cantos do brasil e do mundo.

vivo aqui há sete anos e neste tempo fui me apaixonando pelos enigmas da cidade. gosto de brasília de todos os ângulos. quero tudo o que ela tem. gosto ainda mais por considerá-la uma cidade difícil. a gente avança daqui, ela recua dali - e vice-versa. tenho com esta cidade um romance para o qual não vejo fim.


* a foto lá de cima é do meu grande amigo e fotógrafo, brasiliense da gema, leopoldo silva.

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Fê!!!!
Tb me sinto assim, vivendo há 7 anos, um romance que não quero que tenha fim.
Que as borboletas voem livres...sempre!!!
bjs
Josi

fernanda barreto dijo...

Josi, estou adorando nosso contato virtual! Mas te quero também na vida real! Beijos!