9.2.08

carnaval
(ou: misturado com cachaça fica muito bom!)
.
tua voz
minimiza
meu silêncio,
amplia qualquer fantasia
e põe minha banda pra tocar.
.
nós-dois-juntos,
harmoniza meu intento,
folia meu sentimento,
faz a vida
comichar.
.
então,
eu compro
teu barulho,
pulo no teu bloco,
faço festa na tua carne,
serpenteio no teu corpo,
.
evoluo...
.
e
tomo parte
no amar.

6 comentarios:

Ual dijo...

Seu celular mudou? Tô querendo falar com você.
Bjão_proC

Pequena dijo...

Adoro a sua poesia.
Linda, sonora e apaixonada.
O sabor do carnaval ficou no ar.
bjs
Bárbara

Ricardo dijo...

Entardecer

Entardece. Uma tristeza infinda
envolve toda a Terra ao fim do dia.
Sem a luz - vestimenta da alegria -
a solidão fica mais triste ainda

Da noite o negro véu com o seu abraço
mata a ânsia de luz e cor que eu sinto
Nem a força do amor, nem o instinto
conseguem evitar o meu fracasso

Sonho com toda forma de beleza,
com o corpo lindo da mulher amada,
hoje não mais que a lâmpada apagada
que outrora iluminou minha tristeza,

/José Henriques Maia/

Pá Mariano dijo...

Linda Nanda!

Alucinógena dijo...

Amar é 1 paradoxo.
A folia e agonia andam sempre de mãos dadas.
Que jeito, não?

Rogério Tomaz Jr. dijo...

as massas clamam, pelo menos, por suas palavras...