25.3.08

falta

nesta noite,
empoeirada de silêncios,
pronuncio teu nome
para me indagar a saudade:

te trunco em sílabas breves,
fechadas, distantes,
amarfanhadas até.

- parecidas com quando
choro baixinho, já madrugada,
e rezo em anestesia,
atrás de um traço de fé.

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Comentei esse no nexogrupal. Apareça lá também.

Léo Menezes

Siteja dijo...

Legal o blog