21.7.05

lucidez

Eu sustento teu olhar e sussuro frágil ao teu ouvido:
- Chocolate-me, querido. Venha me provar!
Desnuta-te! E deixa que eu exista fascinada na tua carne.
Entrega-te ao desejo e me engole feito aperitivo e teoria. Hóstia e hostil.
Venha-me louco. Na noite única. Sem amanhã. Sem futuro.
Festeja em mim! Solenidade de querer e instinto!
Devora-me a alma. A pele. Princípios de idéias.
Amordaça-me a razão. Meu bom senso. Nunca tive mesmo juízo.
Sejamos fluxo e prazer.
Umideça. Saliva-me! E me sacia com tua fome de mim.
Chocolate-me, querido!

1 comentario:

Emerson dijo...

Vim retribuir a visita ao Anomia.

Gostei bastante daqui.
Grande abraco, da distante Seul :)