18.6.10

.
.
.

cerrado

a gente se corta,
desfolha,
perde a cor,
o viço,
a flor
e volta.

a gente quer ser primavera.
.
.
.

7 comentarios:

Anna K. Lacerda dijo...

Sempre haverá uma estação na inquieta quietude do coração.

Anna K. Lacerda dijo...

TRADUÇÃO DE OUTONO

O outono
Bate à janela:

_ Sou instável
Como o coração
Das mulheres

Meu céu
Tem vontades
Próprias
Acorda com sol
E dorme com chuva

Meus galhos
Nus
Sacodem ao vento
Mesmo se crispam
No calor

No outono
É uma mulher
Que dá outro tom

Anna K. Lacerda dijo...

MINHA PRIMAVERA

É primavera
E a alma da cidade chove

Pelos vidros das janelas
O céu se deixa espiar
Pelos mais azuis olhos
Não na cor
Mas no profundo ângulo
Que se converge
Naquilo que alguns
Conhecem por alma

É primavera
E penso na vida

Pelos que se foram
Pelos que ainda não vieram
A janela se deixa espiar
Pelos vãos da tela de proteção
Não na figura geométrica
Mas nos pequenos abismos
Que se limitam naquilo que alguns
Conhecem por chão

É primavera
E quando ela acontece
Me recolho

Marcio Nicolau dijo...

Reconfortante sensação.

leticia dijo...

Ai que lindo Fê !
Me lembrou Cecília, a Meirelles, 'quanto mais me despedaço, mais fico inteira e serena'

beijo

Eduardo Baró dijo...

Lembrei de esta foto que tiramos com Gi, no cerrado.
Edu

Eduardo Baró dijo...

Esta es la foto:

http://picasaweb.google.com/lh/photo/cYe4Xaqeqt8kFgdrQB4uSg?feat=directlink